terça-feira, 23 de maio de 2017

Chamada para o #OcupaBrasília 24/05

O coordenador da Central de Movimentos Populares e da Frente Brasil Popular, convoca todas e todos para participarem do movimento Ocupa Brasília, que vai ocorrer na próxima quarta-feira na capital do país.
                                  

video

sexta-feira, 19 de maio de 2017






Raimundo Bonfim coordenador da Central de Movimentos Populares participou nesta quinta, 18/5, do debate na TV Folha, com a porta voz do movimento Nas Ruas, Carla Zambelli sobre as graves denúncias de corrupção que recaem sobre o senador e presidente do PSDB Aécio Neves e o  golpista Michel Temer, que assumiu a presidência.

Ambos foram denunciados e flagrados em esquemas de pagamento de propina cobrada do grupo frigorifico JBS,  para obstruir a Operação Lava Jato e calar Eduardo Cunha, ex - presidente da Câmara dos Deputados, há meses detido e que cumpriu o papel de maior articulador do golpe e impeachment da presidenta Dilma.  

Bonfim destacou que o momento é de mobilizações amplas pelo Fora Temer, fim das Reformas da Previdência  e Trabalhista e eleições diretas para escolher um novo presidente.

quarta-feira, 17 de maio de 2017


Raimundo Bonfim denuncia uso indevido da imagem da CMP pelo governo Temer




CMP denúncia Propagada do Governo Temer ao Conar e prepara ação judicial contra o uso de imagem.

A CMP (Central de Movimentos Populares), protocolou no dia 15 de Maio uma reclamação no Conar (Conselho Nacional de Autorregulação Publicitária), requerendo que o órgão abra processo com vista a suspender propaganda oficial do governo federal  sobre a Reforma da Previdência, tendo em vista que na referida propaganda é usada a imagem da CMP, sem autorização ou consentimento, o que caracteriza crime por uso indevido de imagem.
Além dessa medida administrativa, a CMP informa também que até amanhã vai protocolar uma ação judicial com pedido de liminar de  suspensão imediata da peça publicitária, além de pedir a condenação por danos morais por uso indevido de imagem. Raimundo Bonfim, coordenador da CMP,  afirma que está indignado com o uso da imagem da entidade na propaganda do governo Temer em prol da Reforma da Previdência. "Tomaremos todas as medidas para processar o ilegítimo governo Temer e impedir esse absurdo". 
A entidade é contra a Reforma da Rrevidência e tem sido protagonista nos protestos contra as mudanças apresentadas pelo governo Temer. 

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

CMP reúne 20 mil no Grito dos Excluídos de São Paulo e convoca à luta permanente


A CMP (Central de Movimentos Populares), reuniu 20 mil pessoas no tradicional Grito dos Excluídos que organiza há oito anos, na cidade de São Paulo. 
Neste sete de Setembro, a partir das 9h da manhã, os primeiros manifestantes chegaram na Praça Oswaldo Cruz (Avenida Paulista). Em pouco tempo foi possível prever que este seria um dos maiores Gritos dos Excluídos no país. Militantes das várias entidades filiadas à CMP, de movimentos de saúde, sem teto, LGBT, combate ao racismo, juventude, mulheres, associações de moradores, entre outros compuseram a manifestação que tomou a Avenida Paulista.
 
Além da militância da CMP, o Ato foi prestigiado por diversos parlamentares, parceiros como a CUT, Marcha Mundial das Mulheres, Movimentos dos Trabalhadores Rurais, Movimento dos Atingidos por Barragens, contou ainda com a presença do prefeito Fernando Haddad, candidato à reeleição.


Raimundo Bonfim, coordenador da Central de Movimentos Populares fez abertura da manifestação saudou todas as entidades filiadas à CMP, os parlamentares e os parceiros presentes, e ressaltou que "este Grito tem um significado especial porque acontece num momento de golpe e destacou a importância das atividades de rua na resistência."

Bonfim alertou que o golpe foi contra a ex-presidenta Dilma e continua contra a classe trabalhadora, com as medidas anunciadas pelo governo Michel Temer de desmonte da previdência social, direitos trabalhistas, programas sociais, privatização de empresas públicas, corte de recursos dos programas sociais e ainda, reprimir e criminalizar os movimentos populares, é por isso que "nosso Grito é pelo Fora Temer e Nenhum Direito a Menos" ressaltou.
Diversas lideranças de movimentos sociais, populares e sindicais apoiadores e parceiros da CMP parabenizaram a capacidade de mobilização da Central e também denunciaram o golpe e a violência policial que vem sofrendo as manifestações contra o governo Michel Temer.


Quando a caminhada alcançou a metade do trajeto previsto já contava com 20 mil participantes que seguiram a Avenida Brigadeiro Luiz Antonio até o Monumento das Bandeiras no Parque Ibirapuera. 
Foi na Brigadeiro que o prefeito Fernando Haddad integrou a manifestação e à comissão de frente, esteve ao lado do coordenador da CMP, Raimundo Bonfim e de outras lideranças e parlamentares no Grito Fora Temer.
A atividade conduzida por palavras de ordem foi animada pelo grupo musical mistura popular, que apresentou canções que enaltecem as lutas populares e os trabalhadores.

O Ato ao final uma votação simbólica aprovou por unanimidade o Fora Temer. 
E por último, Bonfim convocou os participantes para continuarem na luta permanente de resistência ao governo golpista Temer e irem à atividade que acontece neste quinta- feira, 08/09, às 17h, com concentração no Largo da Batata, em mais um ato pelo Fora Temer.

O Coordenador Geral da Central de Movimentos Populares, Raimundo Bonfim, ao fazer a sua fala no início do ato, agradece as entidades presentes e repudia o governo usurpador de Michel (fora) Temer.
#ForaTemer

segunda-feira, 5 de setembro de 2016







Contra a Repressão 

A Central de Movimentos Populares (CMP) participou, nesta segunda-feira (05), no Sindicato dos Jornalistas, da coletiva chamada pelas Frentes Brasil Popular e Povo sem Medo, e também pelo Senador Lindbergh Farias e pelo Deputado Federal Paulo Teixeira, da coletiva de imprensa sobre a violência policial da PM de Alckmin nos protestos contra o Governo Temer. 

Participam também diversas entidades ligadas aos direitos humanos, movimento sociais, sindicatos, o Deputado Estadual Alencar Santana, o Deputado Federal Carlos Zarattini, o ex-Senador Eduardo Suplicy, o Vereador paulistano Nabil Bonduki, o ex-Secretário de Direitos Humanos da Presidência da República Rogério Sottili, o Secretário de Saúde de São Paulo Alexandre Padilha, além de diversos coletivos de imprensa livre e veículos de mídia e o jornalista Juca Kfouri. 

Além das denúncias das 27 prisões arbitrárias de jovens, antes da manifestação, e repressão policial depois do ato, e foi anunciada uma representação contra o Governo do Estado de São Paulo na Comissão Interamericano de Direitos Humanos (CIDH) da Organização dos Estados Americanos (OEA). 

Ainda, a CMP fez os devidos informes sobre o ato que acontece nesse dia 7 de setembro, o Grito contra o Golpe e Fora Temer, com início às 09h na Praça Oswaldo Cruz (Avenida Paulista) e segue pela Brigadeiro Luis Antônio até o Parque do Ibirapuera, e que também vai denunciar a violência policial. 

#ForaTemer

Assessoria de Imprensa

sábado, 3 de setembro de 2016


Secretaria recua e Movimentos Sociais farão manifestação Fora Temer, na Paulista neste domingo
A Secretaria de Segurança de Alckmin recuou da tentativa de impedir a manifestação de domingo (4/9) que prega o Fora Temer e desistiram da posição de "não autorizar qualquer manifestação na Avenida Paulista no domingo" e após contatos entre o prefeito Fernando Haddad, lideranças dos Movimentos Sociais e a Secretaria Estadual de Segurança, está acertado que o ato acontecerá no domingo 4/9, às 16h30, o que permitirá tranquilidade para a atividades da tocha paralímpica.
A manifestação que terá início com concentracão em frente ao Masp é convocada pelas Frentes Povo Sem Medo e Brasil Popular.
A grande adesão com a confirmação de cerca de 30 mil pessoas mobilizadas pelas redes sociais e pelos movimentos sociais, fez com que os governos Alckmin e Temer recuassem, da tentativa de proibir a manifestação popular. 
Para Raimundo Bonfim, coordenador da Central Movimentos Populares-CMP, um governo ilegitimo não tem moral para tentar impedir manifestações democráticas e por direitos. "Não tem arrego e não aceitaremos repressão. Não sairemos das ruas enquanto não derrubarmos o governo golpista de Michel Temer."
Domingo, às 16h, na Paulistas, todos (as), pelo
Fora Temer!
Nenhum Direito a Menos 
Diretas Já!
CENTRAL DE MOVIMENTOS POPULARES